Saiba como um planejamento de obra ajuda na hora de lidar com imprevistos

Os imprevistos fazem parte de qualquer obra. Eles são praticamente parte do trabalho, e todo gestor precisa estar 100% preparado para lidar com elas. Por isso, o planejamento é essencial para lidar com os problemas mais comuns que acontecem em uma obra. Confira o post e entenda como.

Quais são os problemas mais comuns e como o planejamento pode ajudar?

As chuvas são um exemplo de um dos imprevistos mais comuns que podem atrapalhar o andamento de uma obra e, como com qualquer problema, o planejamento ajuda a resolvê-lo ou a diminuir os seus impactos.

Por exemplo, durante a fase de planejamento, pode ser feito um estudo pluviométrico, que determinará se existe um potencial grande de chuvas na região durante o período específico.

Outro problema comum é o atraso de materiais. Isso pode ocorrer por inúmeros motivos, especialmente dada a precária condição das estradas brasileiras.

Porém, um planejamento ajuda a determinar o cronograma de entrega de forma mais precisa, de modo a garantir que não faltem materiais e que o gestor perceba o atraso antes que seja tarde demais.

A própria execução de tarefas pode gerar imprevistos. Neste caso, pode ter ocorrido uma medição equivocada do número de profissionais necessários para determinada tarefa. Então, o planejamento preciso tem a missão de alocar os esforços de maneira mais precisa.

Como o planejamento combate os imprevistos?

Portanto, o planejamento ajuda a combater os imprevistos de duas formas diferentes.

Primeiro, ele traz uma forma de antecipar ou prevê-los, dentro da medida do possível. Por isso, o PMBoK dedica toda uma disciplina, das 12 mais importantes, para a gestão dos riscos.

A ideia, é buscar antever quais são os principais riscos que podem ocorrer em uma obra, de modo que eles não sejam necessariamente imprevistos, podendo ser contornados mais facilmente.

Contudo, é praticamente impossível ter tempo e dinheiro para controlar todos os riscos aos quais uma obra está exposta. Por isso, é preciso fazer uma priorização dos riscos que são mais prováveis e que tem um maior impacto para ter um plano de como lidar com eles.

Além da gestão direta dos riscos, existe uma outra disciplina que o PMBoK classifica como fundamental: a gestão dos stakeholders. Ou seja, as partes interessadas no projeto. Muitos dos imprevistos tem relação direta com o fator humano e conhecê-los e controlá-los, também ajuda a mitigar os seus danos, assim que eles aparecem.

Por fim, mesmo com todo o planejamento e todo o exercício de prevenção, é impossível saber, realmente, todos os imprevistos para uma obra. Mesmo nestes casos, o planejamento é essencial.

Com o planejamento bem feito, a obra segue de forma mais tranquila e os recursos são usados da maneira ideal. Caso haja um imprevisto, estes recursos podem ser remanejados sem que o impacto seja tão grande no todo.

Além disso, de mãos dadas com o planejamento vê o controle, ou seja, as formas de medir o andamento da obra. Com ele, os imprevistos podem ser detectados e contornados mais cedo. Isso também limita muito o escopo do seu dano.

Por estes motivos, o planejamento de obra é essencial para você ter muito mais segurança ao lidar com os inevitáveis imprevistos que ocorrem na mesma. Então, se você quiser saber mais e ter mais ferramentas para melhorar o andamento da sua obra, acesse o nosso site e confira os outros artigos.